Make your own free website on Tripod.com




     Conhecido por muitos como A Mão Negra, o Sabatt aparentemente evoluiu de um culto medieval à morte. Muito pouco de sua natureza tem mudado desde então. É a maior seita depois da Camarilla, e está tentando aumentar seu domínio pela força.
     A Mão Negra governa através do medo, ódio, raiva e violência física. Na América do Norte mantém controle absoluto sobre Detroit, Toronto, Montreal, Nova York, Filadélfia, Pittsburgh e Portland, e está próxima de conquistar supremacia em Boston e Baltimore. Até pouco pouco tempo também Miami se encontrava sob o poder do Sabatt, mas eventos recentes causaram uma alteração no equilíbrio de poder daquela cidade.
     O Sabatt é organizado em unidades conhecidas como "bandos" que são fortemente leais umas às outras, alimentando-se e viajando como um só grupo. Na Camarilla tornou-se um termo pejorativo chamar um círculo de "bando".

     Os Membros do Sabatt vêm de várias linhagens, embora a organização seja dominada por dois clãs: o Lasombra e o Tzimisces. Embora seja possível filiar-se ao Sabatt, quase todos os Membros são prole de outros integrantes. A Mão Negra requer devoção irrestrita e obediência à vontade do grupo.
     O procedimento de iniciação no Sabatt é planejado para aniquilar toda vontade remanescente num novo vampiro.
     Os iniciados são sacrificados, lenta e dolorosamente, e em seguida recebem o Sangue. Este sangue não vem de um Membro do Sabatt, mas de quantos estiverem presentes na iniciação, formando um coquetel servido num cálice. Depois que o Iniciado houver recebido o Sangue, é enterrado vivo, e precisa sair sozinho da cova para viver. Aqueles que não conseguem passam a eternidade enterrados. O processo de sair da tumba dilacera a humanidade do Iniciado e deixa-o vulnerável à lavagem cerebral realizada pelo Sabatt.
     Depois que o Iniciado se liberta, adquire um Vínculo de Sangue com o Bando que o Abraçou. Num ritual estranho, que ocorre durante mais de duas noites, o Iniciado recebe mais sangue.
     O único objetivo da Mão Negra é a obtenção de poder sob todas as formas. Ela está envolvida ativamente com a Diablerie e opõe-se fanaticamente à vida e suas belezas. O Sabatt considera os mortais como animais inferiores a serem dominados e usados conforme a necessidade. O Sabatt presta adoração às residências dos mortos - cemitérios, tumbas e capelas mortuárias. Os do Sabatt reconhecem-se como mortos-vivos, e comportam-se de acordo. Qualquer um que se opuser a eles é queimado vivo - os Membros do Sabatt são fascinados pelo fogo, embora não sejam mais imunes a ele que os outros Membros.

     Os Membros do Sabatt orgulham-se de ser vampiros e extravasam seus instintos. Desprezam os outros Membros porque se esforçam muito para reter sua humanidade. Para o Sabatt, essa é a maior blasfêmia.
     O Sabatt costuma enviar bandos às cidades governadas pela Camarilla, tanto para investigar a oposição, como para caçar alimento para aqueles que escapam das covas. A presença de Membros do Sabatt invariavelmente complica a política da Camarilla.
     Acredita-se que o Sabatt esteja envolvido com uma estranha forma de Diablerie, na qual os Membros sacrificam ritualmente seus próprios anciões, de modo que Membros mais jovens e agressivos possam tomar seu lugar. Porém, como a maioria das coisas dita pelos Membros fora do Sabatt, isto não é confirmado. Os príncipes das principais cidades pagariam alto para obter informações sobre as maquinações do Sabatt. Todos eles temem o perigo do seu crescimento constante.
     No fim das contas, nada pode ser dito com certeza sobre a seita. Na verdade, tudo que a Camarilla acredita sobre ela poderia ser falso, rumores de Antediluvianos que desejam que as duas seitas entrem em conflito. É improvável, mas perfeitamente possível.