Make your own free website on Tripod.com





     O sexo vampírico é particularmente curioso. Para se relacionarem, seus instintos mandam que bebam o sangue do "parceiro" e que da mesma forma ele beba seu sangue. São assexuados (não possuem sexo) portanto o sexo da pessoa em questão não importa. Escolher entre macho ou fêmea para eles é como escolher entre comer peixe ou frango para nós. Seu êxtase em parte vem pelo fato de que estão bebendo o sangue de quem gostam muito. O êxtase do "parceiro" depende do feromônio (partículas que produzem cheiros e gostos característicos afetando a função cerebral) presente em seu sangue. Saliento o fato de que seu parceiro é ao mesmo tempo seu filho, ou neófito como é mais popular entre eles. Da mesma forma, depois da metamorfose, continuam a praticar relações sexuais que se baseiam praticamente em um beber o sangue do outro, e vice-versa. Os órgãos sexuais humanos são inúteis para a reprodução.

     Também praticam sexo com outros vampiros que não sejam seus neófitos. Isso porque os feromônios do sangue são como impressões digitais, distintas à cada vampiro, e faz com que um vampiro seja diferente do outro em termos sexuais. Os pontos heterogêneos humanos as vezes se mantém, e caso a penetração seja sugerida, é aconselhável que nesse caso os vampiros sejam de sexo oposto, embora alguns vampiros menos ortodoxos fogem à essa regra.

     O sexo entre dois vampiros pode se tornar perigoso as vezes e é praticado bem menos freqüentemente. Deve-se pensar duas vezes antes de proceder com a troca de sangue. Isso porque os feromônios foram biologicamente evoluídos para provocar vício de quem bebe em quem sede o sangue. É importante que o neófito se sinta atraído pelo mestre, pois será perto dele que aprenderá tudo que deve aprender como um vampiro. E se alguém bebe muito o sangue de outro, também se vicia nele, como se fosse seu neófito. É quase como o amor dos humanos, porém mais forte. Se o sangue for trocado muitas vezes, ambos se tornarão ligados por algo que denominamos "Laço de Sangue". É como se a vida do outro se tornasse mais importante que a sua própria. As vezes, um vampiro obriga outro a beber seu sangue três ou quatro vezes para produzir escravos ou subordinados fiéis.

     O sexo entre um vampiro e um humano também é possível. Os órgãos sexuais dos vampiros, mesmo que desinteressantes, são totalmente operantes. A ejaculação existe, porém é sangue puro e sangue vampiro, e poderia assustar um humano desavisado. Um humano pode até mesmo beber o sangue do vampiro, mas sem que o sangue do humano seja extraído posteriormente, não ocorre transformações. Porém, o sangue é energético e provoca algumas transformações dependendo dos hormônios que estão correndo no sangue do vampiro. O humano, mesmo que não tenha sido transformado, também se torna viciado no sangue do vampiro e depois de três ou quatro doses irá querer mais. Isto é muito vantajoso pois conseguem servos para tomar conta deles e/ou de seus negócios durante o dia.