Make your own free website on Tripod.com





     Muitos vampiros ainda enfatizam os termos antigos usados na era da superstição como "Luz Celestial" para o Sol, "Presente das Trevas" para sua condição, ou "Mortos-Vivos" para o que são.

     Primeiramente não estão mortos. Mostos são inanimados e apodrecem. Nós pelo contrário, eles são na Terra os seres mais vivos que existem. Isto se dá pela metamorfose que sofrem na transformação. As hemoglobinas que vivem em seu sangue são ao mesmo tempo um tipo de espermatozóide. Também possuem uma grande quantidade de feromônios sexuais. Isto atrai a presa humana assim como um inseto é atraído para uma planta carnívora, fazendo com que mesmo em estado de semi-inconsciência, o humano beba do sangue instintivamente. Além das funções básicas de glóbulos vermelhos, também funcionam como agentes reprodutores e possuem um sistema que injeta o DNA vampiro em outras hemoglobinas humanas ou semelhantes à humana. Uma vez injetado o DNA, há uma superposição da maioria dos caracteres humanos. Isto faz com que as características genéticas de nascimento se mantenham, porém, os tecidos e hormônios evoluam tornando humanos normais em vampiros. Mas há um porém. Quando as novas hemoglobinas são criadas, ainda são muito poucas, e se tornando estranhas ao organismo, são facilmente abatidas pela ação das hemácias. Por isso, é necessário que a maior parte do sangue seja sugado, antes que o sangue vampírico seja introduzido.
     Uma vez retirada a quantidade correta de sangue, e introduzido por via oral ou intra-venosa o novo sangue vampírico, o DNA é injetado em todas as hemoglobinas em ordem de 1:1. Salvo as hemoglobinas aniquiladas pelas hemácias, as outras atingirão diretamente a medula óssea e a mesma sofrerá distorções genéticas em poucas horas. No final do processo de contaminação, a medula estará produzindo incansavelmente um hormônio cujo nome é denominado de gênesis. A gênesis é responsável por todo o processo de metamorfose. Primeiramente, excita a produção de adrenalina fazendo com que o coração pulse à cerca de 200 batimentos por minuto. Excita também a produção de dopamina pelo hipotálamo, fazendo com que o humano ganhe quase que instantaneamente uma afeição pelo vampiro. Isto garante um tipo de senso de "maternidade" pelo mestre. E por último, sobrepõe o DNA de todas as células do organismo pelo novo DNA. Em menos de uma hora, todas as células foram efetivamente evoluídas e começarão a exercer nova função no organismo. É como se a função do DNA humano fosse uma doença a ser regenerada pelo organismo agora vampiro, e o ainda humano deverá passar pelo processo de metamorfose por um período de aproximadamente 48 horas. Terminada a produção da gênesis pela medula óssea, a mesma atrofia a cessa de funcionar.

     Na metamorfose de humano para vampiro, ou de homo sapiens para homo sapientissimus (ou homo nocturnus em algumas concepções mais antigas), grande parte dos órgãos vitais são atrofiados e cessam de funcionar. Todo o resto será evoluído. As características adquiridas entre o nascimento e a metamorfose são mantidas, como cicatrizes permanentes e membros decepados. Isto se deve porque quando um tecido não regenerável se perde, junto com ele se perderam as instruções genéticas para a reconstrução do mesmo, e isso não pode ser reposto pela metamorfose. Cabelos, unhas e pigmentações irão voltar para a forma que deveriam ser, enquanto a idade, formação muscular, porte físico se manterão como na hora em que houve a metamorfose. O coração se transforma numa extensão do cérebro e ganha neurônios, além de se tornar controlável assim como a respiração e responsável pelos poderes paranormais do vampiro e também pela consciência. O cérebro será excitado em diferentes regiões proporcionando um aumento crescente dos instintos assim como da inteligência e da paranormalidade, e será utilizada cerca de 45% de sua massa e capacidade. Os aparelhos urinário, escretor, reprodutor e respiratório cessarão de funcionar. O mais interessante acontece com o aparelho circulatório.
     O sangue agora conterá o dobro de espécies de células que o sangue humano. Será possível controlar para que parte do corpo o sangue irá correr, através de válvulas que se desenvolverão em lugares estratégicos. O coração e as válvulas serão involuntárias, mas podem se tornar voluntárias pelo desejo do vampiro. Todos os tecidos desenvolverão ou evoluirão o sistema reprodutor, possibilitando uma regeneração de 100% do corpo, o que combate a velhice. A velocidade de regeneração também aumentará consideravelmente, proporcionando uma média de três centímetros cúbicos por minuto para a maioria das células. A pele e os neurônios são mais rápidos. Cerca de 1 centímetro cúbico por minuto. Usei tal consideração pois não sei como a velocidade de regeneração é medida cientificamente. Habilidades como a memória eidética, paranormalidade, telepatia e telecinésia serão desenvolvidas com o tempo. O sangue deverá estar sempre em contado com todas as células, e uma vez separado dela, em segundos, as células morrem. Isto explica porque restos de um vampiro como membros decepados e tecidos extraídos se decompõe quase que instantaneamente quando longe do sangue. O coração, agora com neurônios, controla também algumas funções ainda não explicadas. Na verdade o cérebro e o coração são os maiores mistérios para os 'cientistas vampiros'.
     A medula atrofiou ao terminar de produzir o gênesis. Isto faz com que o sangue não possa ser produzido pelo corpo. Por isso, deve ser extraído de humanos ou de mamíferos próximos ao homo sapiens. As hemoglobinas ingeridas serão absorvidas pelo próprio estômago, uma vez que os intestinos atrofiaram e posteriormente são integradas ao organismos pela introdução do DNA vampiro. Assim o único tecido não reproduzível de nosso organismo é renovado. Ele também proporciona o pouco oxigênio necessário para a queima de alguns reagentes para a produção de hormônios. Ainda assim, é muito mais do que precisamos. Os outros componentes do sangue são mortos e seu material químico é utilizado para a regeneração. Por isso é necessário um grande consumo de sangue quando em processo regenerativo.
     O coração é agora uma extensão do cérebro, e possui algumas franquezas. Em especial, à celulose. Quando um corpo contendo celulose, mais popularmente a estaca de madeira, transpassa o coração, obviamente sofre danos. Mas por motivos que não podemos explicar, a presença da celulose impede a circulação de sangue. Desta forma, a circulação é impossibilitada, e os tecidos próximos morrem. Nota que madeiras envernizadas dificilmente provocam esse efeito. Sem parte do coração, o vampiro atinge inconsciência e entra em estado de suspensão até que a madeira seja extraída, quando a regeneração volta ao normal. Da mesma forma, uma flecha lançada com muita força que atravesse o coração causa danos ínfimos. Um corpo qualquer que atinja o cérebro causa muitas vezes inconsciência. Porém, a regeneração não é interrompida e o processo dura pouco tempo.
     Ainda não sabemos o que, mas algo nessas células reagem com alguma energia transmitida pelo sol. Acredita-se que seja uma radiação eletromagnética de alta freqüência, pois lâmpadas ultra-violetas provocam o mesmo efeito em muito menor escala. Mas nada ainda foi provado. Lâmpadas ultra-violetas normais apenas aquecem suas peles. Mas o sol provoca combustão instantânea. Um fogo muito intenso como o de um maçarico também é perigoso, porque destrói mais rápido do que podem se regenerar, e também os levam à morte final. Se sua cabeça é decepada, regenera. Leva tempo mas regenera. Agora se seu coração é extraído, também podem morrer em questão de minutos.